Sobre Guarapuava

cidade de Guarapuava

Guarapuava é o município mais populoso da região centro-sul do Paraná e o nono mais populoso do estado, com 167 463 habitantes, segundo o censo 2010, sendo um polo regional de desenvolvimento com forte influência sobre os municípios vizinhos. A cidade faz parte também de um entroncamento rodo-ferroviário de importância nacional, denominado corredor do Mercosul, entre os municípios de Foz do Iguaçu e Curitiba.

Sua localização no Terceiro Planalto Paranaense faz de Guarapuava uma das cidades mais frias do estado. O bioma predominante é a floresta subtropical, com vastas áreas de mata de araucárias. A cidade é, ainda, a maior produtora brasileira de cevada e possui uma das maiores fábrica de malte da América Latina, responsável por dezesseis por cento da produção nacional.

História

A ocupação dos campos de Guarapuava remonta às grandes questões da expansão territorial em solo americano pelos povos ibéricos, pois, segundo o Tratado de Tordesilhas, toda porção centro-oeste do estado do Paraná deveria ser de comando espanhol. Entretanto, durante a União Ibérica (período em que a coroa espanhola dominou o território português) houve um grande número de incursões rumo ao interior do continente a partir da província de São Paulo, através de expedições denominadas "bandeiras", desta forma, expandiu-se os rios e lagos do estado. Após a dissolução da União Ibérica, fim da Dinastia Filipina, a expansão portuguesa na América do Sul continuou até chegar as margens do rio da Prata, onde ocorreu a fundação da colônia de Sacramento, no atual território do Uruguai. Sob efeito desta ameaça expansionista portuguesa é que houve a reformulação do acordo entre os dois países, através do Tratado de Madri, redefinindo as fronteiras das colónias vinculadas as duas potências da época.

Contudo, a região de Guarapuava continuou sem a presença do domínio europeu até o início do século XIX. A fim de consolidar a posse estratégica deste território, que já havia recebido expedições de reconhecimento no século XVIII, a coroa portuguesa, então sediada no Rio de Janeiro, determinou a organização de uma expedição para ocupar a região através de seu povoamento e garantir a nova fronteira com a Espanha.

A Real Expedição de Conquista e Povoamento dos Campos de Guarapuava, comandada por Diogo Pinto de Azevedo Portugal. Chegou à região em 1 de dezembro de 1787 e fez construir o Fortim Atalaia (onde abrigou as primeiras tropas, seus familiares e povoadores que dela fizeram parte, cerca de 300 famílias). O Fortim Atalaia, construído na região atualmente denominada Palmeirinha, protegeu os componentes da Expedição dos freqüentes ataques dos índios, pertencentes às três tribos que habitavam a região (Camés, Votorões e Cayeres ou Dorins).

Entre 1812 e 1859, Guarapuava foi a primeira localidade brasileira a receber condenados ao degredo pela justiça como forma de ocupar a região com "brancos", pois os índios dominavam a matas do interior paranaense.

Oficialmente, a cidade surgiu com a assinatura do Formal de Instalação da Freguesia de Nossa Senhora de Belém, em 9 de dezembro de 1819, momento em que o Padre Francisco das Chagas Lima em concordância com Antônio de Rocha Loures, Tenente Comandante Interino da Real Expedição, determinaram a transferência da freguesia e da Igreja Nossa Senhora de Belém para o local, que segundo o Padre, era o mais adequado para a construção da igreja, a atual sede do município.

Padre Chagas foi um personagem importante na fase inicial do povoamento, pois procurou iniciar a ocupação baseado em alguns critérios de estética, observando as prescrições contidas na carta régia de 1 de abril de 1809, do Conde Linhares, que já determinava os padrões a serem seguidos pelas edificações. Como ponto gerador do núcleo cita-se a Catedral de Nossa Senhora de Belém, que era um ponto referencial importante para a sociedade da época. O primeiro prefeito de Guarapuava foi o Coronel Pedro Lustosa de Siqueira.

No ano de 1852, no dia 17 de julho, o povoado Nossa Senhora de Belém foi elevado à categoria de vila. Em 2 de maio de 1859, foi criada a comarca de Guarapuava, sendo José Antônio Araújo de Vasconcelos o seu primeiro juiz de direito. A Vila Nossa Senhora de Belém recebeu foros de cidade no dia 12 de abril de 1871 pela Lei 271, sendo desmembrada do município de Castro.

Economia

A economia é variada, mas como outras cidades do mesmo porte no Paraná, ela é baseada na agroindústria. A agropecuária representa aproximadamente 18% do produto interno bruto do municipio. O município tem forte participação na produção agrícola do estado. O setor de serviços incorpora cerca de 47% do PIB de Guarapuava, figurando como o principal pilar da economia do município, e a atividade industrial, outro importante setor, com cerca de 35%.

Indústria

A indústrias madereira e de celulose (incluindo derivados) são os principais ramos industriais do Guarapuava. As empresas químicas, dos ramos de bebidas, produtos alimentícios e a agroindústria também possuem forte participação. A Cidade Guarapuava é conhecida junto com sua região pela produção de erva-mate, produto-base do chimarrão. Entre as indústrias manufatureiras se destaca a Santa Maria, Iberkraft, Pinhopast, Prideli, Repinho, Polijuta, Chocalates Pietrobon, Refrigerantes Neon, Agrogen, Dalba, Erva Mate 81, e muitas outras. Embora haja indústrias de destaque em Guarapuava, as principais são a Santa Maria Papel e Celulose e a Cooperativa Agrária de Entre Rios; Em 2009, a Santa Maria e a Agrária foram classificadas entre as maiores empresas do Brasil, segundo o Anuário da Revista Exame, Maiores e Melhores.

Em 2008, a atividade industrial do municipio contribuiu para cerca de 1/3 de seu PIB, ou aproximadamente R$800 milhões.

Agricultura

Em 2005, segundo o IBGE, Guarapuava registrou o 20º maior PIB Agropecuário (excluindo as agroindústrias), o maior do sul do Brasil, dez posições na frente de Castro, segunda colocada no Sul. Naquele ano a agricultura movimentou R$ 235.435.000.
É uma das maiores produtoras de batata-inglesa, milho e cevada do Brasil e também uma grande produtora de soja e trigo.

Agroindústria

A agroindústria é outro setor importante na economia municipal. A cidade conta com a maior maltaria da América Latina, que pruduz 20% do malte brasileiro, a Agromalte pertencente a Agrária, e também com a Brasil Foods, Agrícola Cantelli, Coamo, Codapar, Cooperativa Vale, entre outras.

Para homenagear a comunidade de moradores desta maravilhosa cidade, o Encontra Paraná criou o Encontra Guarapuava.

Blog do Guia da Cidade Guarapuava

Receba notícias por e-mail
Cadastre-se e receba notícias de Guarapuava por email
 

 

Limites

Campina do Simão, Turvo, Pinhão, Prudentópolis, Inácio Martins, Candói, Cantagalo e Goioxim.

Dados Principais sobre a Cidade de Guarapuava

Aniversário: 09 de Dezembro
Fundação :
1810
Gentílico:
Guarapuavano
Área:
3 115,329 Km²
População
168 262 hab. (2011)
IDH 0,773 - médio
Prefeitura Guarapuava

Brasão de Guarapuava
Brasão de Guarapuava

Bandeira de Guarapuava
Bandeira de Guarapuava

Vídeo sobre a cidade de Guarapuava
Veja mais vídeos sobre a Cidade de Guarapuava

Mapa Guarapuava

 

Moradores ilustres de Guarapuava

 

   

  Tudo sobre o Encontra Paraná
Anuncie Aqui
Cadastre sua Empresa (grátis)
Fale Conosco


Termos do Serviço | Política de Privacidade